Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Sendo Deus, Jesus submetia-se a S. José

  Jesus obedecia de tal forma que, como ensinava S. Bernardo, antes quis perder a vida do que a obediência. Sendo Deus, submetia a sua vontade à vontade de sua mãe e de seu pai adoptivo, S. José. Que exemplo para a nossa rebelião, a nossa soberba e amor-próprio! Jesus trabalhava, já auxiliando sua Mãe nas lides domésticas, já entregando-Se, na oficina, ao mister humilde de artista, para coadjuvar seu pai adoptivo. Pregava, assim, contra a nossa preguiça, desleixo e negligência no cumprimento dos nossos deveres para com Deus, para connosco e para com o próximo! Jornal Amigo da Verdade , Ano V, 252 (10 de Jan 1932), Secção Nem só de pão vive o homem .
Mensagens recentes

Dever de ensinar os filhos a rezar, levá-los ao Templo e emendar primeiros passos no vício

  «(...) Quantos pais não esquecerão esse dever sagrado, não levando os seus filhos ao templo, não os ensinando a orar, não se importando com os passos criminosos, que fatalmente os hão-de conduzir à desgraça! Mas também, enquanto Jesus Se sujeitava humilde a S. José e a Maria, e ia crescendo em idade, sabedoria e graça, os pais de hoje têm, tantas vezes, filhos revoltados, que vão medrando no pecado, na licenciosidade e no vício» Jornal Amigo da Verdade , Ano IV, nº 200 (11 de Janeiro de 1931), Secção Nem só de pão vive o homem . Caravaggio

Ladainha em honra de São José, de acordo com a Congregação para o Culto Divino, a partir de 2020-05-06

 S enhor, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós. Jesus Cristo, ouvi-nos. Jesus Cristo, ouvi-nos. Jesus Cristo, atendei-nos. Jesus Cristo, atendei-nos. Pai dos Céus, que sois Deus, tende piedade de nós. Filho, Redentor do mundo, que sois Deus, tende piedade de nós. Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós. Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós. Santa Maria, rogai por nós. São José, rogai por nós. Ilustre descendente de David, rogai por nós. Luz dos Patriarcas, rogai por nós. Esposo da Mãe de Deus, rogai por nós. Guarda do Redentor, rogai por nós. Casto guarda da Virgem, rogai por nós. Sustento do Filho de Deus, rogai por nós. Zeloso defensor de Cristo, rogai por nós. Servo de Cristo, rogai por nós. Ministro da salvação, rogai por nós. Chefe da Sagrada Família, rogai por nós. José justíssimo, rogai por nós. José castíssim

A família cristã deve vigiar pela educação religiosa dos seus filhos

         " A Família de Nazaré cuidou de levar, também, Jesus a essa piedosa romagem, e com que afã O procurou, mal havia notado a sua falta! Como Ela, também a família cristã deve vigiar pela educação religiosa dos seus filhos, acautelá-los contra os perigos, desviá-los dos escolhos, atentar na sua conduta, censurar-lhes os seus desvarios…" Jornal Amigo da Verdade , Ano IV, nº 200 (11 de Janeiro de 1931), Secção Nem só de pão vive o homem .

O modelo de todas as famílias

 S. José, o varão justo do Evangelho, seria o seu pai putativo; Maria, a cheia de graça, como manifestara o Anjo, seria a sua própria Mãe!... E essa Família tão santa, em que S. José era o melhor dos chefes, Maria a mais santa esposa e a melhor das mães, e Jesus o melhor de todos os filhos, essa Família bem-aventurada, lembrada pelo Evangelho e em cada ano festejada pela Igreja, ficará, até ao findar dos séculos, como modelo sublime de todas as famílias da terra. Jornal Amigo da Verdade, Ano IV, nº 200 (11 de Janeiro de 1931), Secção Nem só de pão vive o homem.

Ah! Se todas as famílias aproveitassem a lição sublime da Santa Família de Nazaré!

Por John Everett Millais - John Everett Millais, Domínio público, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=134304 No lar Santíssimo de Nazaré amava-se a Deus, e, não obstante a distância que separa Nazaré de Jerusalém, em cada ano, os bem-aventurados esposos dirigem-se ao templo, acompanhados de Jesus. É verdade que S. José ia em obediência à Lei que obrigava os homens a irem três vezes no ano ao templo.  Mas Maria ia unicamente por devoção e Jesus para obedecer a seus pais da terra e glorificar o seu Pai do Céu. É indispensável que à hora da santa Missa e dos atos de culto divino se dirigiam todos: pais e filhos, à Igreja, e aí, rezem, peçam, agradeçam e glorifiquem a Deus. nota: o texto original*, neste último parágrafo, o que diz é: "É indispensável que se volte ao tempo dos nossos antepassados, os quais, à hora da santa Missa e dos atos de culto divino, fechavam as suas casas e se dirigiam todos, pais, filhos e criados, à Igreja, onde rezavam, onde pediam, onde agradeci

Foi no Templo que Maria e José encontraram a Jesus

  Lembremo-nos de que foi no Templo que Maria e José encontraram a Jesus; (Debalde O procuraremos, pois, nos prazeres mundanos, nas delícias duma vida mundana…) O grande meio, para quem pecou, obter de novo a graça do Senhor, é uma verdadeira dor das nossas culpas, como grande e íntima foi a dor de Maria e José ao perderem Jesus. E a dor despertará em nós o arrependimento, e o arrependimento far-nos-á ir até ao Templo para, no tribunal da Penitência, implorarmos o perdão, com ele, a amizade de Deus, que, em má hora, houvéramos perdido.   Jornal Amigo da Verdade , Ano I nº 43 (8 de Janeiro de 1928), Secção Nem só de pão vive o homem .